segunda-feira, novembro 13, 2006

Quero um amor fora de moda!!!






Se não estivesse fora de moda eu ia falar de amor.
Daquele amor sincero, olhos nos olhos,
frio no coração, aquela dorzinha gostosa de
ter muito medo de perder tudo.
Daqueles momentos que só quem já
amou um dia conhece bem.
Daquela vontade de repartir, de conquistar todas as coisas.
Mas não para prendê-las no egoísmo material da posse.
Mas para doá-las no sentimento nobre de amar.
Se não estivesse fora de moda eu ia falar de sinceridade.
Sabe, aquele negócio antigo de fidelidade,
respeito mútuo e outras coisas mais.
Aquela sensação que embriaga mais que a bebida,
que é ter numa pessoa só, tudo o que procuramos em muitas.
Se não tivesse fora de moda eu ia falar em amizade.
Na amizade que deve existir entre duas pessoas que se querem.
O apoio, a solidariedade de uns pelas coisas dos outros e vice-versa.
A união do sentimentos, a dedicação de compreender para depois gostar.
Se não estivesse tão fora de moda eu ia falar em família.
Sim, família!
Essa instituição que atualmente vive a beira da falência,
sofrendo contínuas e violentas agressões.
Pai, mãe, irmãos, irmãs, filhos, lar...
Um canto de paz no mundo, o aconchego da morada,
a fonte do descanso.
E depois eu ia até falar algo como felicidade.
Mas é pena a felicidade, há muito tempo esteja fora de moda.
Sabe: me sinto feliz por estar fora de moda e você?
Também está fora de moda como eu?


 Posted by Picasa

quinta-feira, novembro 09, 2006

A viagem.




TREM DA VIDA

Dias desses li um livro que comparava a vida a uma viagem de trem. Uma comparação extremamente interessante, quando bem interpretada.Interessante, porque nossa vida é como uma viagem de trem, cheia de embarques e desembarques, de pequenos acidentes pelo caminho, de surpresas agradáveis com alguns embarque e tristezas com os desembarques.Quando nascemos, ao embarcarmos nesse trem, encontramos duas pessoas que, acreditamos, farão conosco a viagem até o fim. Nossos Pais.Não é verdade, infelizmente em alguma estação eles desembarcam, deixando-nos órfãos de seus carinhos, proteção, amor e afeto.Mas isso não impede que, durante a viagem embarquem pessoas interessantes que virão ser especiais para nós. Embarcam nossos irmãos, amigos, amores....Muitas pessoas tomam esse trem a passeio. Outros fazem a viagem experimentando somente tristezas. E no trem há também pessoas que passam de vagão, prontas para ajudar a quem precisa.Muitas descem e deixam saudades eternas. Outras tanto viajam no trem de tal forma que, quando desocupam seus assentos, ninguém sequer percebe.Curioso é considerar que alguns passageiros que nos são tão caros, acomodam-se em vagões diferentes do nosso. Isso nos obriga a fazer essa viagem separadas deles. Mas claro que isso não nos impede de com grande dificuldade, atravessamos nosso vagão e chegamos até eles. O difícil é aceitamos que não podemos nos assentar ao seu lado, pois outra pessoa estará ocupando esse lugar.Essa viagem é assim : cheia de atropelos, sonhos, fantasias, esperas, embarques e desembarques.Sabemos que esse trem jamais volta....Façamos então essa viagem da melhor maneira possível, tentando manter um bom relacionamento com todos os passageiros, procurando em cada um deles que tem de melhor, lembrando sempre que, em algum momento do trajeto poderão fraquejar, e, provavelmente, precisaremos entender isso.Nós mesmos fraquejamos algumas vezes. E, certamente alguém nos atenderá.O grande mistério, afinal, é que não sabemos em qual parada descemos.E FICO PENSANDO: quando eu descer desse trem sentirei saudades? Sim. Deixar meus filhos viajando nele sozinhos será muito triste.Separar-me de alguns amigos que nele fiz, do amor da minha vida, será para mim dolorido.Mas me agarro na esperança que, em algum momento, estarei na estação principal, e terei a emoção de vê-los chegar com sua bagagem que não tinham quando embarcaram.E o que me deixará feliz é saber que, de alguma forma, eu colaborei para que ela tenha crescido e tornado valiosa.Agora, nesse momento, o trem diminuiu sua velocidade para que embarquem e desembarque pessoas. Minha expectativa aumenta, a medida que o trem vai diminuindo sua velocidade.....Quem entrará? Quem sairá?Eu gostaria que você pensasse no desembarque do trem não só como a representação da morte, mas, também como o término de uma história, de algo que duas ou mais pessoas construíram e que, por um motivo íntimo, deixaram desmoronar...Fico feliz em perceber que certas pessoas, como nós tem a capacidade de reconstruir para recomeçar. Isso é sinal de garra e de luta, é saber viver, é tirar o melhor de "todos os passageiros"...Agradeço a Deus por você fazer parte da minha viagem, pricipalmente você que está na poltrona ao lado, e os demais, por mais que nossos assentos não estejam lado a lado, com certeza, o vagão é o mesmo.
*
Silvana Duboc
**
Quantas pessoas já partiram no trem, e nunca mais voltaram, mas nos deixaram a certeza de que encontraremos numa estação, um dia.
**
Beijos carinhosos de sempre.
*

terça-feira, novembro 07, 2006

Aonde quer que eu vá.....

Acho tão linda a letra dessa música!
A letra nos permite sonhar e acreditar nos sonhos.
*
Aonde quer que eu vá.
(Paralamas do Sucesso)
**
Beijos carinhosos.

segunda-feira, novembro 06, 2006

Lembranças...


Olhar perdido, longínquo, procurando talvez uma resposta, querendo uma resposta de algo que nem resposta tem.O passado volta a mente, minha infância já tão distante, e então vejo meu pai, minha mãe, fazendo parte desse momento da minha vida. Ah! Dor que tanto machuca, dor de uma ferida que sangra, que fere e violenta minha alma. Só queria poder dormir durante todo o tempo que o tempo precisa pra cicatrizar essa dor. Só queria poder olhar o tempo que passou e poder voltar nele novamente, e sentir o cheiro de perfume bom que minha mãe tinha, e sentir o olhar do meu pai em mim. Somos tão egoístas, achamos que pai e mãe são eternos, que eles vão viver pra sempre em nossas vidas.Estou me sentindo tão só, tão triste, revivendo todas as lembranças, tudo aquilo que me fez feliz um dia, a minha infância querida, aqueles tempos que nunca mais vão voltar, lembranças de um tempo que nunca irão se apagar da minha memória.
**
In Memoriam da minha mãe e meu pai.
*
Beijos carinhosos.

quarta-feira, novembro 01, 2006

Mãe, eu te amo!

"Hoje de algum lugar desse céu imenso
Há um doce olhar só pra você
Um olhar especial
De alguém especial,
Um olhar de um justo coração que pulsa só a vida
Que sorri porque ama plenamente
Sem julgamentos, preconceitos nem prisões
Hoje, como ontem, longe desses céus
Há um encantador olhar só pra você
Nesse olhar vai para você a magia da luz
A simplicidade do perdão
A força para comungar com a vida
A esperança de dias mais radiantes de paz
Hoje, de algum lugar dentro de você,
Alguém que já o amou muito e ainda o ama
Diz para você que valeu a pena ter estado nessas terras...
Sob estes céus...
Falando de união, paz, amor e perdão
Poder sentir a força que faz você sorrir
E continuar o caminho
Que um dia aquele doce olhar iniciou pra você
Tudo isso, só para você saber que
A VIDA CONTINUA... E A MORTE É APENAS UMA VIAGEM."
*
Faz 5 dias que perdi minha mãe, e de novo o barco foi deixado ancorado ao mar, e ela foi em busca de outros mares. Fez 5 meses que meu pai faleceu no dia 27 de outrubro, e no dia 28 ele veio buscá-la, da dor eu nem falo porque não tem como dizer como ela é, mas so peço a Deus que me dê forças pra continuar a caminhada, porque o vázio é grande, o pedaço que se arranca daqui de dentro é doloroso. Vou lembrar do Cristo cruxificado, da dor que ele passou, de quando Ele chorou e sofreu a morte do amigo Lázaro, e tentar passar pra minha vida, tudo o que ele ensinou a respeito da morte, que ela é apenas o começo de uma vida, não o fim dela. Acredito no Cristo
vivo, acredito na ressurreição, acredito que o tempo vai amenizar a minha dor, o meu sofrimento,
acredito que um dia eu os verei de novo, acredito que eles vão estar do meu lado sempre...
sempre, é nisso que eu acredito, é nisso que eu vou acreditar.

**
Obrigada aos amigos que me são solidários nessa hora tão dificil da minha vida.